×
HOME BELEZA BUSINESS E NEGÓCIOS CULTURA DESTINOS EVENTOS GASTRONOMIA HOTELARIA MODA PETS SOCIAL TURISMO ZILDA BRANDÃO DICAS DE VIAGEM QUEM SOMOS TV ZILDA BRANDÃO ÚLTIMAS NOTÍCIAS FALE CONOSCO
     

Whats Instagram Instagram Facebook
×
ENCONTRE SUA NOTÍCIA

CULTURA

Até 26 de fevereiro, o projeto TELA CLÁSSICA, ciclo dedicado à memória e à obra dos cineastas mais representativos da história do cinema mundial, continua contemplando nesta edição obras do cineasta Yasujiro Ozu

Zilda Brandão
29/01/2019 às 21:36hs


FILMES DO CINEASTA JAPONÊS YASUJIRO OZU SÃO EXIBIDOS ATÉ 26 DE FEVEREIRO NO TELA CLÁSSICA, PROJETO DO SESC PINHEIROS

Até 26 de fevereiro, o projeto TELA CLÁSSICA, ciclo dedicado à memória e à obra dos cineastas mais representativos da história do cinema mundial, continua contemplando nesta edição obras do cineasta Yasujiro Ozu (1903 -1963). Os ingressos podem ser retirados 1h antes, a censura é 14 anos e a programação é grátis. Além do ciclo os  filmes mais elogiados do cineasta, o projeto realiza o curso O Cinema de Ozu, com o jornalista e crítico de cinema Sergio Alpendre. A proposta do curso é investigar como a dissolução da tradicional família japonesa alterou o percurso da carreira do cineasta à medida que seus personagens foram se tornando cada vez mais burgueses e como o diretor se tornou influência para outros cineastas, como Jim Jarmusch, Claire Denis, Hong Sang-soo e Hou Hsiao Hsien. Em seu quinto ano de existência, o Tela Clássica já exibiu mais de 120 filmes em ciclos de cineastas como: Fritz Lang, Buñuel, Eisenstein, De Sica, Fassbinder, David Lean, Pasolini, Kubrick, Jim Jarmush, Spike Lee, Kusturica, Polanski, Herzog, Robert Altman Andrei Tarkovski, Wong Kar Wai e Lars von Trier.

Sobre Yasujiro Ozu

Nascido em Tóquio, Yasujiro Ozu (1903 -1963) se interessou pela arte cinematográfica ainda menino, aproveitando seu tempo livre para assistir o máximo de filmes que conseguia. Seu primeiro contato profissional com o cinema aconteceu nos estúdios da Shochiku em Tóquio onde conseguiu emprego como assistente de fotografia, tendo como mestre e inspirador, Yasujiro Shimazu, expoente do chamado ‘shimun geki’, o cinema intimista japonês. Em 1927, dirigiu o seu primeiro filme, Zange no yaiba (A Espada da Penitência), um drama histórico. Considerado o mais oriental dos cineastas, e admirado por Jean-Luc Godard e Wim Wenders suas obras examinam a intimidade e o cotidiano da sociedade japonesa, a transição da infância para a idade adulta, o nascimento e a morte e a constante tensão entre a modernidade e a tradição. Ozu realizou mais de 53 filmes e teve sua carreira interrompida pela Segunda Guerra Mundial, recrutado para servir na Infantaria Japonesa na campanha da China, fato que marcou profundamente sua obra, transformando-o num cronista das mudanças que os traumas de guerra causaram na família japonesa.

PROGRAMAÇÃO


Era Uma Vez em Tóquio (Tokyo Monogatari)

Dia 5 de fevereiro, terça, 19 horas

Auditório (3º andar – 98 lugares). Não recomendado para menores de 14 anos. Grátis Retirada de ingressos com 1h de antecedência na bilheteria.

Japão,1953, 136 min. B&P, Drama. Projeção Digital.

Um casal de idosos viaja em visita aos filhos casados, após uma ausência de 20 anos. Porém os filhos os recebem com indiferença, e estão sempre muito atarefados para terem tempo para os pais. Com: Chishu Ryu, Setsuko Hara e Hanuko Sugimura.


Ervas Flutuantes (Ukigusa)

Dia 12 de fevereiro, terça, 20 horas

Auditório (3º andar – 98 lugares). Não recomendado para menores de 14 anos. Grátis Retirada de ingressos com 1h de antecedência na bilheteria.

Japão, 1959, 119 min. Colorido. Drama. Projeção Digital

Uma companhia teatral chega a uma pequena ilha de pescadores. O mestre, fundador da companhia, esconde um segredo do passado que lhe causará transtornos. Com: Ganjirô Nakamura, Machiko Kyô e Ayako Wakao.


Fim de Verão (Kohayagawa-ke no aki)

Dia 19 de fevereiro, terça, 20 horas



Auditório (3º andar – 98 lugares). Não recomendado para menores de 14 anos. Grátis Retirada de ingressos com 1h de antecedência na bilheteria.

Japão, 1961, 98 min. Colorido. Comédia. Drama. Projeção Digital

Os dramas enfrentados pelos membros de uma família, proprietária de uma pequena fábrica de saquê, durante o período do pós-guerra no Japão. Com: Ganjirõ Nakamura, Setsuko Hara e Keiju Kobayashi.


Fim de Verão (Kohayagawa-ke no aki)

Dia 19 de fevereiro, terça, 20 horas

Auditório (3º andar – 98 lugares). Não recomendado para menores de 14 anos. Grátis Retirada de ingressos com 1h de antecedência na bilheteria.

Japão, 1961, 98 min. Colorido. Comédia. Drama. Projeção Digital

Os dramas enfrentados pelos membros de uma família, proprietária de uma pequena fábrica de saquê, durante o período do pós-guerra no Japão. Com: Ganjirõ Nakamura, Setsuko Hara e Keiju Kobayashi.


A Rotina Tem seu Encanto (Sanma No Aji)

Dia 26 de fevereiro, terça, 20 horas



Auditório (3º andar - 98 lugares). Não recomendado para menores de 14 anos. Grátis Retirada de ingressos com 1h de antecedência na bilheteria.

Japão, 1962, 114 min. Colorido. Ficção. Projeção Digital.

Um viúvo leva uma vida calma sob os cuidados da filha. Mas, após uma conversa com um velho professor, fica preocupado com o futuro da filha e resolve arrumar um marido para ela. Com: Chishu Ryu, Keiji Sada e Eijiro Tono.


SESC PINHEIROS
Endereço: Rua Paes Leme, 195.
Bilheteria: Terça a sábado das 10h às 21h. Domingos e feriados das 10h às 18h.
Tel.: 11 3095.9400.

Estacionamento com manobrista: Terça a sexta, das 7h às 21h30; Sábado, das 10h às 21h30; domingo e feriado, das 10h às 18h30. Taxas / veículos e motos: para atividades no Teatro Paulo Autran, preço único: R$ 12 (credencial plena do Sesc) e R$ 18 (não credenciados).

Transporte Público: Metrô Faria Lima – 500m / Estação Pinheiros - 800m

Recomendamos para você:
10ª edição Mostra 3M de Arte - Parque Ibirapuera, São Paulo
Com seis artistas convidados e quatro selecionados via edital público, a Mostra acontece no Parque Ibirapuera a partir de 07 de novembro.
28/09 - Lançamento do livro AUTONOMIA FINANCEIRA - Livraria da Vila, SP
Após a revisão dos princípios cooperativistas, Rosalvi Monteagudo dá agora continuidade a seu trabalho investigativo na área social e o faz com muita segurança e disciplina.




ENVIE PARA UM AMIGO

Leia mais sobre Cultura

LEIA TAMBÉM:
COMENTÁRIOS


Adicione seu comentário

Nome:
Email:
Cidade e Estado:
Comentário