×
HOME BELEZA BUSINESS E NEGÓCIOS CULTURA DESTINOS EVENTOS GASTRONOMIA HOTELARIA MODA PETS SOCIAL TURISMO ZILDA BRANDÃO DICAS DE VIAGEM QUEM SOMOS TV ZILDA BRANDÃO ÚLTIMAS NOTÍCIAS FALE CONOSCO
     

Whats Instagram Instagram Facebook
×
ENCONTRE SUA NOTÍCIA

CULTURA

Com uma série que transita entre a pintura e a escultura, o artista investe em substâncias industriais diversas, de densidades que transitam entre o sólido e o fluído

Zilda Brandão
06/11/2018 às 08:15hs


Com uma série que transita entre a pintura e a escultura, o artista investe em substâncias industriais diversas, de densidades que transitam entre o sólido e o fluído

Fragmentos de uma trajetória poética amparada pela matéria. É esse o tom da nova série do artista visual Marcos Amaro, que, no dia 8 de novembro, às 19h, inaugura sua exposição individual Aquilo que resta, na Luis Maluf Art Gallery. Com curadoria de Marcus de Lontra Costa, a mostra apresenta um recorte inédito de 11 trabalhos em que explora diferentes substâncias. Óleos, gorduras, betumes sobre chapas, latarias e fuselagens são combinados de modo a sugerir uma pintura matérica, que caminha entre o bidimensional e o tridimensional.

Com uma densa produção escultórica, Marcos Amaro migra para a pintura, mas não deixa de construir grandes volumes. O impacto visual de sua obra está nos materiais que explora e na relação que estabelece com os espaços que ocupa. A paleta de cores de seus trabalhos transita entre os tons que o cercam em seu ateliê de pintura, remetendo à degradação provinda do tempo. Os pontos de cor observados, por sua vez, revelam o que vibra em meio ao caos.

Artista visual - Marcos Amaro - Luis Maluf Art Gallery
Destalhes da obra

Para o curador Marcus de Lontra Costa, o artista aproxima matérias e conceitos diferenciados, que sugerem um diálogo permanente com o legado de Tunga e Henry Chamberlain. "Assim como eles, Marcos Amaro está inserido no universo da pop art que aproxima procedimentos artísticos industriais. As obras conectam-se também com aarte povera", pontua. Objetos pictóricos ou pinturas matéricas, é assim que se traduz o processo por onde passa essa série do artista, que explora materiais que estão entre o líquido e o sólido, apresentando-se, ao olhar do curador, obras "densas, compactas, misteriosas e estranhamente belas".

A mostra, que também se relaciona com o poema Resíduo, de Carlos Drummond de Andrade, revela aquilo que resta, que resiste e persiste do discurso poético do artista Marcos Amaro. "O trabalho é puramente matéria, dessa vez, explorada em uma pesquisa que transcende a trajetória artística marcada pelo uso de material aeronáutico ressignificado. Nessa produção inédita, revelo o compromisso com uma ação artística sólida, importante no contexto de realidades líquidas em que estamos inseridos", conta o artista.

Sobre o artista:

Marcos Amaro estudou Filosofia - base intelectual que reflete o processo de pesquisa que antecede a produção artística. Desenvolve suas obras, predominantemente, a partir da matéria em estado bruto, precário, por vezes desconstruída e descontextualizada.

O artista expôs no Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba, no Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul e no Centro Cultural Correios de São Paulo e do Rio de Janeiro. Participou das principais feiras nacionais e internacionais, como a SP-Arte, a SCOPE – Basel, a CONTEXT-NY, Art Zurich e Art Wynwood. Venceu o prêmio de Escultura Sustentável na Bienal de Salerno e seus trabalhos integram as coleções do Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba, de Fábio Delduque, curador e diretor do Festival de Arte da Serrinha, e de seu galerista, Luis Maluf.

Serviço:

Luis Maluf Art Gallery

Aquilo que resta, Marcos Amaro

Abertura: 08 de novembro, às 19h

08 novembro a 08 de dezembro

Rua Peixoto Gomide, 1887 - São Paulo

Terça a sexta, 11h às 20h

Sábado, 11 às 18h

 


Recomendamos para você:
Mostra 3M de Arte celebra 10ª edição que discute o coletivo e o urbano
Com seis artistas convidados e quatro selecionados via edital público, a Mostra acontece no Parque Ibirapuera a partir de 07 de novembro, Projeção 3D do projeto Objeto Horizonte, do Coletivo Foi à Feira, selecionado via edital
Arte de Fernando Botero na Lincoln Road
Exposição de 13 monumentais esculturas em bronze do artista colombiano Fernando Botero




ENVIE PARA UM AMIGO

Leia mais sobre Cultura

LEIA TAMBÉM:
COMENTÁRIOS


Adicione seu comentário

Nome:
Email:
Cidade e Estado:
Comentário