×
HOME BELEZA BUSINESS E NEGÓCIOS CULTURA DESTINOS EVENTOS GASTRONOMIA HOTELARIA MODA PETS SOCIAL TURISMO ZILDA BRANDÃO DICAS DE VIAGEM QUEM SOMOS TV ZILDA BRANDÃO ÚLTIMAS NOTÍCIAS FALE CONOSCO
     

Whats Instagram Instagram Facebook
×
ENCONTRE SUA NOTÍCIA

CULTURA

0

Zilda Brandão
08/01/2009 às 2:16hs


A comédia solo de Marcelo Médici retorna a São Paulo
Mais de 150 mil espectadores já assistiram a um dos maiores sucessos do teatro brasileiro 
A partir de 13 de janeiro em curta temporada no Teatro Shopping Frei Caneca 



Cada Um Com Seus Pobrema
é uma das produções teatrais de maior sucesso de crítica e público no Brasil desde que estreou em São Paulo em 2004. Desde então, a peça escrita e interpretada por Marcelo Médici, já foi vista por mais de 150 mil espectadores em diversas cidades do pais. A partir de 13 de janeiro de 2009, Marcelo Médici retorna a São Paulo, onde tudo começou, para mais uma curta temporada no Teatro Shopping Frei Caneca, com apresentações às terças e quartas feiras, às 21h, até 31 de março.


Assim, nesses três meses que abrem o novo ano, Médici permanecerá cinco dias por semana em cartaz no Frei Caneca, pois seguirá de sexta a domingo com a temporada de O Mistério de Irma Vap, dirigida por Marília Pêra, em que divide o palco com Cássio Scapin. 


Cada Um Com Seus Pobrema é dirigido por Ricardo Rathsam, que também colaborou com Marcelo Médici na redação do texto, tem cenários e figurinos de Kleber Montanheiro, iluminação de Adriano Tosta, trilha sonora de Tunica Teixeira e direção de produção de Giuliano Ricca. Uma realização de Henriqueta Produções e M&G Ricca Produções.


Além do aplauso do público e da crítica, o trabalho de Marcelo Médici tem sido alvo de diversas recentes premiações: Paulistano do Ano na categoria Ator pela revista Veja SP; Personalidade Teatral do Ano pela revista Isto É Gente; Melhor Ator Teatral em Comédia (Irmã Vap) no Prêmio Qualidade Brasil 2008.


Cada Um Com Seus Pobrema - breve história

Inicialmente produzido para ficar dois meses em cartaz no Teatro Crowne Plaza, a peça teve sua temporada constantemente prorrogada até completar um ano, sempre com lotação esgotada. Em janeiro de 2006, o espetáculo entrou em cartaz no Teatro do Leblon, no Rio de Janeiro, onde fez sua temporada com grande sucesso até o fim de junho. De volta a São Paulo, o espetáculo teve seus ingressos esgotados com três meses de antecedência em duas temporadas, 2006 e 2007. A partir daí, sempre casa cheia em diversas cidades (em algumas delas, mais de uma vez): Porto Alegre, Belo Horizonte, Ribeirão Preto, Brasília, Guarulhos, São José dos Campos, Campo Grande, Vitória, Salvador, Campinas, Sorocaba, Curitiba.


Nesta comédia-solo o ator e autor Marcelo Médici interpreta nove personagens hilários e surpreende com sua agilidade e talento de mudar radicalmente de expressão e voz. Com uma linguagem moderna, humor inteligente e veloz, o espetáculo contagia o público, levando-o as gargalhadas do início ao fim.


No enredo o personagem central é um ator de teatro que ao desistir de fazer sua apresentação começa a falar sobre sua própria vida. Surgem então os demais personagens, todos politicamente incorretos, comentando e criticando com muito humor várias situações do cotidiano garantindo a contemporaneidade do texto e causando uma identificação imediata no público


A direção de Ricardo Rathsam privilegia a brilhante capacidade de improvisação do ator, dando uma característica única a cada apresentação, enquanto que o figurino assinado por Kleber Montanheiro se transforma conforme mudam as personagens, mantendo o ritmo dinâmico do espetáculo.


O ATOR

 

Marcelo Médici, ator, autor e diretor, Marcelo Médici começou a carreira aos 16 anos e teve parte de sua formação no CPT (Centro de Pesquisas Teatrais), dirigido por Antunes Filho, e no Teatro Escola Célia Helena. Participou de mais de 25 espetáculos teatrais, nos quais foi dirigido por Carla Camurati, Jorge Takla, Bibi Ferreira e Gerald Thomas, entre outros.

 

Alguns de seus personagens apresentados no espetáculo “Cada Um Com Seus Pobrema” já haviam sido testados pelo ator. Foi o primeiro colocado do Prêmio Multishow do Bom Humor Brasileiro, em estilo stand-up comedy com o personagem Sanderson. Mais tarde permaneceu por um ano no elenco do espetáculo Terça Insana, onde criou mais de quinze personagens como o “Último Mico-Leão-Dourado do Mundo”, “Smurfete”, entre outros. 


FICHA TÉCNICA – CADA UM COM SEUS POBREMA -
Texto: Marcelo Médici / Colaboração: Ricardo Rathsam / Direção: Ricardo Rathsam / Assistente de Direção: Paula Cohen / Elenco: Marcelo Médici / Cenário e Figurino: Kleber Montanheiro / Assistente de Figurinos: Veridiana Toledo / Iluminação: Adriano Tosta / Arranjo Musical: Plínio Campos / Programação Visual: Laburdza / Trilha Sonora: Tunica Teixeira / Locução de Abertura: Paula Cohen / Contra-Regra: Tadeu Tosta / Operador de Luz: Adriano Tosta / Operador de Luz: André Luis Omote / Administração Financeira: Argemiro Meirelles / Produção Executiva: Carmem Oliveira / Administração: M&G Ricca / Direção de Produção: Giuliano Ricca / Realização: M&G Ricca e Henriqueta Produções



CADA UM COM SEUS POBREMA - Serviço

Local: Teatro Shopping Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569 - 6º Andar)
Horários: Terças e Quartas, às 21h
Temporada: De 13/01/2009 à 31/03/2009 
Preços: R$50,00 (inteira) / R$ 25,00 (meia)
Duração 110 minutos
Lotação: 600 lugares
Classificação Etária: 12 anos
Horário de funcionamento da bilheteria: terça à quinta, no 6º andar, das 13h às 19h; de sexta a domingo, no 6º andar, das 13h até o início dos espetáculos.
Vendas: (11) 3472-2229 e 3472-2230 / Call-Center: (11) 2163-2000

 


Recomendamos para você:
Portinari é apoiadora oficial da nova edição da CASACOR
Em novo formato este ano, a mostra Janelas CASACOR traz os revestimentos de uma das maiores marcas do País nas principais praças do Brasil
29 a 31/08 - Curaçao North Sea Jazz - Curação, Caribe
Um dos eventos musicais mais emblemáticos de Curaçao - e do mundo




ENVIE PARA UM AMIGO

Leia mais sobre Cultura

LEIA TAMBÉM:
COMENTÁRIOS


Adicione seu comentário

Nome:
Email:
Cidade e Estado:
Comentário