×
HOME BELEZA BUSINESS E NEGÓCIOS CULTURA DESTINOS EVENTOS GASTRONOMIA HOTELARIA MODA PETS SOCIAL TURISMO ZILDA BRANDÃO DICAS DE VIAGEM QUEM SOMOS TV ZILDA BRANDÃO ÚLTIMAS NOTÍCIAS FALE CONOSCO
     

Whats Instagram Instagram Facebook
×
ENCONTRE SUA NOTÍCIA

CULTURA

0

Zilda Brandão
06/01/2009 às 18:16hs


LOLITA RODRIGUES CONTA SETE DÉCADAS DE HISTÓRIA EM  “DE CARNE E OSSO”

Do começo como cantora de rádio em Santos, passando por atuações em novelas como O Direito de Nascer,  Sassaricando, Rainha da Sucata e Terra Nostra até chegar aos dias atuais,  são quase 70 anos de história. Lolita Rodrigues abre suas memórias à jornalista Eliana Castro e o resultado pode ser conferido em “De carne e osso”, lançamento da Coleção Aplauso.


A jornalista Eliana Castro abre “De Carne e Osso”, perfil de Lolita Rodrigues, lançamento da Coleção Aplauso, da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, relatando seu primeiro contato com a atriz, assistindo Almoço com as Estrelas, programa que Lolita apresentava com o então marido, Airton Rodrigues, nas tardes de sábado, na TV Tupi. Mas sua história começou antes ainda da inauguração da TV Tupi, em 1950, quando foi chamada para substituir Hebe Camargo e cantar o “Hino da Televisão Brasileira” na festa que marcou o primeiro sinal da televisão no Brasil. Embora sua história se confunda com a história da televisão brasileira, Lolita já dava seus primeiros passos aos dez anos de idade, como cantora do programa Hora Infantil, da Rádio Atlântica de Santos, carreira que a trouxe para programas de rádio da capital paulista.


Nascida Sylvia Gonçalves, descendente de espanhóis, Lolita Rodrigues justifica o título do livro, “De Carne e Osso”, e a fama de ser uma pessoa extremamente simples ao tecer comentários como: “
Não me acho melhor que ninguém. Eu sou igual a todo mundo. Esse negócio de celebridade é uma grande bobagem. Quem disse que uma atriz é melhor ou mais importante do que uma dona-de-casa? Cada pessoa tem o seu valor. Cada uma está fazendo o melhor que pode. A vida, para todo mundo, é luta. E cada pessoa luta do seu jeito”.


Começou cantora, mas seu grande sonho foi sempre atuar. Sua sorte foi ter confessado o desejo a Cassiano Gabus Mendes, o primeiro a lhe oferecer algumas oportunidades, pequenos papéis nos teleteatros da Tupi. Aos poucos, Lolita Rodrigues foi conquistando espaço até estrelar, em 1957,  O Cordunda de Notre Dame. Desde então, não parou mais.


Ao longo do livro, Lolita Rodrigues desfia recordações de décadas de carreira, revelando  detalhes de bastidores de grandes sucessos da teledramaturgia nacional como O Direito de Nascer, de Teixeira Filho, Sassaricando, de Silvio de Abreu, e o remake de A Viagem, de Ivani Ribeiro.


Recomendamos para você:
Pinacoteca de São Paulo se volta para o ambiente digital e divulga vídeos sobre a coleção do Museu
Visita educativa guiada com OSGEMEOS também está disponível no site e no canal do youtube do museu
Vicunha recebe Amy Leverton, autora do icônico livro Denim Dudes
Leverton fala sobre o futuro do mercado jeanswear no lançamento da coleção SS21 da Vicunha




ENVIE PARA UM AMIGO

Leia mais sobre Cultura

LEIA TAMBÉM:
COMENTÁRIOS


Helenice
13/02/2009 - 01:21
Está de Parabéns a homenagem que foi feita para Lolita Rodrigues. Gostaria de saber como poderia adquirir o livro. Resido em Santos. Obrigada...

Adicione seu comentário

Nome:
Email:
Cidade e Estado:
Comentário