×
HOME BELEZA BUSINESS E NEGÓCIOS CULTURA DESTINOS EVENTOS GASTRONOMIA HOTELARIA MODA PETS SOCIAL TURISMO ZILDA BRANDÃO DICAS DE VIAGEM QUEM SOMOS TV ZILDA BRANDÃO ÚLTIMAS NOTÍCIAS FALE CONOSCO
     

Whats Instagram Instagram Facebook
×
ENCONTRE SUA NOTÍCIA

MODA

Registros de sua trajetória profissional estão preservados pelo Centro de Memória Bunge e podem ser acessados mediante agendamento

Zilda Brandão
09/11/2020 às 09:25hs


Capa da Coleção Verlene-Dener, com foto do estilista. Moinho Santista. Brasil; s.a.; 1970. Coleção S.A. Moinho Santista, Acervo Centro de Memória Bunge.
Capa da Coleção Verlene-Dener, com foto do estilista. Moinho Santista. Brasil; s.a.; 1970. Coleção S.A. Moinho Santista, Acervo Centro de Memória Bunge

A próxima segunda-feira, 9 de novembro, completam-se 42 anos da morte do aclamado figurinista brasileiro Dener Pamplona de Abreu, um dos pioneiros da moda no Brasil. Paraense do município de Soure na Ilha de Marajó, Dener passou a infância no Rio de Janeiro e, desde menino, desenhava modelos de roupas que copiava de revistas femininas. Em 1957, abriu sua primeira Maison (casa de alta costura) na Praça da República, em São Paulo. Nas décadas de 1960 e 1970, tornou-se o maior nome da alta-costura brasileira. 

Foi Dener, por exemplo, que determinava o que era "um luxo" e o que era "um lixo" no programa de Flavio Cavalcanti no começo dos anos 1970, na extinta TV Tupi. Ele também foi o primeiro costureiro a vestir uma primeira-dama, Maria Teresa Goulart, de quem ficou amigo íntimo. Ao longo dos anos 1970, Dener disputou com Clodovil Hernandes o título de "Papa da alta costura brasileira". 

Hoje, sua história, produções e legados ficam em livros didáticos sobre moda, em sua autobiografia (Ed. Cosac Naify, 2007), além de imagens e roupas. O acervo do Centro de Memória Bunge, referência na área de preservação da memória empresarial do País, ainda preserva imagens que mostram seus passos durante a carreira, como o folheto sobre lançamento de tecido produzido pela Santista Têxtil, "Verlene-Dener", em 1970. 

Estas e mais informações históricas estão disponíveis para consulta e visitação, após o fim do isolamento, no CMB, mediante agendamento. O local possui um acervo com mais de 1,5 milhão itens que contam mais de um século de história da indústria brasileira. 

Dedicatória de Dener Pamplona de Abreu à S.A. Moinho Santista. Brasil; s.a.; 1970. Coleção S.A. Moinho
Dedicatória de Dener Pamplona de Abreu à S.A. Moinho Santista. Brasil; s.a.; 1970. Coleção S.A. Moinho


Recomendamos para você:
Isabel Marant celebra o amor e a liberdade das pistas em seu verão 2021
A primavera-verão 2021 de Isabel Marnt é uma celebração do amor.
Emilio Pucci, a escolha perfeita para o Verão 2020
O verão chegou e a coleção Resort da Emilio Pucci e seus prints são a aposta para a temporada mais quente do ano.




Tópicos: - -

ENVIE PARA UM AMIGO

Leia mais sobre Moda

LEIA TAMBÉM:
COMENTÁRIOS


Adicione seu comentário

Nome:
Email:
Cidade e Estado:
Comentário