×
HOME BELEZA BUSINESS E NEGÓCIOS CULTURA DESTINOS EVENTOS GASTRONOMIA HOTELARIA MODA PETS SOCIAL TURISMO ZILDA BRANDÃO DICAS DE VIAGEM QUEM SOMOS TV ZILDA BRANDÃO ÚLTIMAS NOTÍCIAS FALE CONOSCO
     

Whats Instagram Instagram Facebook
×
ENCONTRE SUA NOTÍCIA

GASTRONOMIA

0

Zilda Brandão
16/11/2009 às 10:11hs


Classic Grey Sevruga Caviar

Vindo do Mar Cáspio, uma mera colherzinha custa cerca de R$ 5.638.

 



La Madeline
au Truffe

Deitado em uma espécie de cama de açúcar perolizado, uma simples trufa custa o equivalente a R$ 559,00.

 

 

Queijo de leite de alce

O nome pode ser estranho, mas o tal queijo é conhecido como “o mais caro queijo do mundo”. Tem razão, cerca de 450 gramas custa R$ 1.513.

 

 

Açafrão vermelho iraniano

O açafrão é raro e o preço é especial. Cada 100 gramas custa módicos R$ 1.678.

 


 

Bife Wagyu

A carne de Wagyu, espécie de boi, é conhecida em todo o mundo por sua maciez e sabor suculento, o que talvez justifique o valor de R$ 639 por quatro bifes.

 

 

Trufas frescas negras

Essas trufas italianas também estão entre as mais caras do mundo.
Por R$ 895 você abre a conta bancária e as leva para casa.

 

 

Café Luwak Kopi

Produzido a partir de frutos que foram consumidos e excretados pela civeta, uma espécie de gato, um quilo de café custa cerca de R$ 512

 

 

Champagne Dom Perignon (1988)

A marca é bastante conhecida, sobretudo pelo seu custo.
Uma garrafa não sai por menos de R$ 1.566.

 

 

Foie Gras

O fígado de ganso é conhecido pela sua suavidade, gosto cremoso e preço. Por cerca de 100 gramas, isso mesmo, 100 gramas, você paga o equivalente a R$ 257.

 

 

Sundae rico em ouro

O restaurante novaiorquino Serendipity, possui oficialmente o mais caro sundae do mundo. A sobremesa, que custa R$ 2.237, inclui ouro 23 quilates comestível, sorvetes e chocolates raros, servidos em uma taça de cristal com um detalhe: uma colher de ouro 18 quilates.

 





ENVIE PARA UM AMIGO

Leia mais sobre Gastronomia

LEIA TAMBÉM:
COMENTÁRIOS


Adicione seu comentário

Nome:
Email:
Cidade e Estado:
Comentário