Image Slider Theme - Jssor Slider, Carousel, Slideshow with Javascript Source Code
Chile
Miami Beach
Istambul, Turquia
Rio Grande do Sul
Bali, Indonésia
Capadócia, Turquia
Bali, Indonésia
São Paulo
Saint Marteen
Istambul, Turquia
São Paulo
Malindi - Africa do Sul
Tribo Masai, Quênia
jQuery Slider

DESTINOS
A Jóia da Amazônia - Macapá/AP - da Série "Meu Brasil Brasileiro"
15/07/2016 às 22:54




Floresta Amazõnica - Vista Aérea

A JÓIA DA AMAZÔNIA - MACAPÁ/AP

DA SÉRIE - "MEU BRASIL BRASILEIRO"

By Ellen Saraiva

Quem já pensou em visitar a jóia da amazônia? É assim que é chamada a cidade de Macapá, capital do Amapá e o principal centro econômico, cultural e político do estado. A cidade está no sudeste do estado,tem 258 anos, com 560 mil habitantes e é a única capital brasileira que não possui interligação por rodovia a outras capitais e para chegar lá só de avião ou navio e é aí que começa a sua aventura. A cidade também é a única capital do brasil que está às margens do fantástico Rio Amazonas! Além disso, é a única cortada pela linha do Equador onde voce poderá tirar aquela foto com um pé em cada hemisfério.


Macapá


Linha do Equador


Orla de Macapá - A força da maré cheia


São muitas as atrações que voce vai encontrar por lá e se você gosta do estilo aventura associado à ecologia, estará no lugar certo, conectando-se à maior das reservas verdes do planeta, a Amazônia!! Por alí, você pode contratar um barco e fazer um passeio por dentro do majestoso Amazonas, indo pelos Igarapés apreciando a flora e a fauna da maior Floresta Tropical do mundo.


A força das águas


Igarapé no Rio Amazonas


Sumaúma - Arvore típica da Amazônia


Vitória Régia


Jacuaçu ou Penelope Obscura - (Pássaro com grão de açaí)


Perereca verde


Tratando antes com os barqueiros , ainda dá para visitar uma comunidade ribeirinha e fazer uma caminhada por dentro da floresta fechada, sempre acompanhado de pessoal experiente pois a floresta amazônica pode trazer surpresas aos desavisados urbanos. No entanto , a energia que o lugar emana voce nunca mais vai esquecer!


Comunidade do Igarapé Novo


Caminho Floresta


Caminhada na Floresta


Saindo de macapá mais ao norte , voce poderá conhecer Laranjal do Jari, umas tres ou quatro horas de macapá onde vai encontrar cachoeiras em meio a floresta de tirar o fôlego ou renovar mesmo


Cachoeira de Santo Antônio


Cachoeira Laranjal


Belezas Naturais do Amapá


ou então dar uma chegada no Oiapoque , sim , ali onde diziam que começava o brasil (Já não é mais) e quem sabe dar uma passeada nas Guianas Francesas , que faz divisa com o Estado pela Cidade de Saint Georges de L'Oyapoque que fica do outro lado da margem do Rio Oiapoque.


Ponte Oiapoque


Port Saint George - Guiana Francesa


Catedral Port Saint George - Guiana Francesa



A FORTALEZA DE SÃO JOSÉ

A Fortaleza de São José de Macapá tem 235 anos. Esse monumento hoje agrega diversos segmentos sociais com muita história.

A Fortaleza de São José de Macapá levou 18 anos para ficar pronta e foi construída pelos portugueses no século XVIII . Foi projetada pelo engenheiro Henrique Antônio Galúcio, sendo inaugurada em 1782. Os Portugueses queriam resguardar a Foz do Rio Amazonas e o território brasileiro de uma possível invasão europeia por via fluvial. “Eu vejo que a Fortaleza tem formas múltiplas de seu significado para a sociedade amapaense. A importância da Fortaleza está pautada no significado material, social, histórico e literário. Todos aqueles que contribuíram para a construção desse espaço colaboraram para a formação atual do povo amapaense”, disse o escritor e historiador, Fernando Canto.

Além de ser tombado como patrimônio nacional, desde 2008, a Fortaleza de São José é reconhecida como um museu pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), passando a ser denominada como “Museu Fortaleza de São José de Macapá”. Ë o cartão postal da capital amapaense, sendo um dos maiores atrativos turísticos do Estado do Amapá. Um passeio ao redor da Fortaleza logo no amanhecer ou entardecer é um colírio para os olhos e se a maré estiver cheia voce comprovará a força e poder do maior rio do mundo que forma ondas que arrebentam contra a murada que cerca o Rio na frente da cidade! Vale a pena!


Canhões da Fortaleza de São José


Forte de Macapá


Fortaleza de São José


Forte de Macapá


O sol nascendo no rio Amazonas


Pista de caminhada na orla do rio Amazonas



Dia nascendo no Amazonas



Museu Sacaca

O Museu Sacaca (oficialmente, Centro de Pesquisas Museológicas Museu Sacaca) é uma instituição cultural e científica l. É subordinado ao Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (IEPA), órgão público responsável por fomentar e divulgar a produção científica e tecnológica local. Está sediado em uma extensa área de aproximadamente 21 mil metros quadrados, onde cultivam plantas que são usadas nas pesquisas do instituto.

Tem como destaque maior o circuito expositivo a céu aberto, construído com a participação das comunidades indígenas, ribeirinhas, extrativistas e produtoras de farinha do estado.

O museu foi oficialmente estabelecido em 1997 mas o acervo, entretanto, remonta às décadas de 1960 e 1970, quando foram criados o Museu de História Natural Ângelo Moreira da Costa Lima e o Museu de Plantas Medicinais Waldomiro de Oliveira Gomes. Os dois museus foram posteriormente fundidos e, em 10 de abril de 1997, o Museu Sacaca foi inaugurado, sob a denominação de Museu do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (IEPA). Em 1999 o museu foi rebatizado como "Museu Sacaca de Desenvolvimento Sustentável", em homenagem a Raimundo dos Santos Souza (1926-1999), vulgo "Sacaca", curandeiro local de grande importância para a difusão da medicina natural junto à população amapaense.

O acervo do museu, bastante diversificado, reúne peças de interesse científico, abrangendo zoologia (com destaque para a coleção entomológica), botânica e microbiologia, artefatos históricos, etnográficos, arqueológicos e artísticos, adquiridas através de doações, coletas e aquisições, além de fototeca e biblioteca. Destaca-se também o acervo audiovisual, formado através de registros realizados pela equipe técnica do museu durante os projetos desenvolvidos pelo IEPA, e um núcleo de produtos desenvolvidos pela própria instituição, como a vela de urucuri (Syagrus coronata), um eficiente repelente de mosquitos transmissores da dengue e da malária, além de cicatrizantes e pomadas de funções diversas.


Museu Sacaca


Museu Sacaca


Estátua Sacaca


Museu Sacaca



Museu Histórico

O prédio que abriga o Museu Histórico Caetano da Silva, permanece o mesmo do início da formação da vila de são José de Macapá e que funcionou como "intendência" e também como prefeitura no passado. As visitas são monitoradas e mostram um pouco da rica história do estado. Desde a criação das capitanias hereditárias até a incorporação decisiva depois do confronto com os franceses. Proporciona um passeio pelos campos históricos, antropológicos e arqueológicos e possui um grande acervo sobre as civilizações "Maracá e Cunani". Sobre as civilizações, o Museu mantém uma sala com urnas que os homens utilizavam para guardas restos mortais. Cada uma tinha sua forma de urna e também de grafia.


Museu Histórico

CURIAU

A Vila do Curiaú, localizada a 8 quilômetros de Macapá, relata as histórias que permearam a criação e o povoamento da região, conhecida pelas paisagens e riquezas da fauna e da flora. A comunidade é formada por descendentes de escravos africanos que formaram quilombos.

Eles tem na tradição as festas em homenagem aos santos católicos. Ao todo, nove celebrações são realizadas durante o ano pontuado pela dança tradicional da comunidade, o Marabaixo, ritmo usado pelos escravos para amenizar o sofrimento nos porões dos navios negreiros.

Caminhando pela comunidade, ouve-se relatos sobre o povoamento do local. Contam de que chegaram alí fugidos. Vieram da Fortaleza de São José de Macapá [onde eram escravizados], Dizem que fugiram pelo Rio Amazonas durante a noite e chegaram até o local.


Curiaú


Povo do Curiaú


Dança do Marabaixo


Crianças do Curiaú



SANTANA

A história do município de Santana em muitos aspectos aproxima-se do que ocorrera com a cidade de Macapá, no momento em que o Governador do Estado do Grão-Pará e Maranhão (Capitão-General Francisco Xavier de Mendonça Furtado), fundou a Vila de São José de Macapá no dia 4 de fevereiro de 1758. Prosseguiu viagem para a Capitania de São José do Rio Negro e deparou-se com a Ilha de Santana, situada na margem esquerda do Rio Amazonas, elevando-a à categoria de povoado.

Os primeiros habitantes eram moradores de origem europeia, principalmente portugueses, mestiços vindos do Pará e índios da nação tucujus. Estes últimos vindos de aldeamentos originários do Rio Negro, chefiados por Francisco Portillo de Melo, contrabandista de pedras preciosas e escravos, que fugia das autoridades fiscais paraenses, em decorrência de estarem atuando no comércio clandestino. Hoje o município abriga o Porto que recebe navios do mundo inteiro que estão em trânsito, transportando passageiros da região ou trazendo mercadorias para o Estado , que como mencionado anteriormente , só é acessado via aérea ou fluvial, recebendo a maior parte do que consome atravéz dos navios mercantes.


Porto de Santana


Igarapé da Fortaleza



FAZENDINHA

APA da Fazendinha.

Essa Área de Proteção Ambiental teve sua origem m 1974 quando surgiu com o nome de Parque Florestal de Macapá.

O Balneário da Fazendinha é uma praia às margens do Rio Amazonas a 16 Km de Macapá. Mais afastado da capital, o distrito atrai pela praia e por dezenas de restaurantes, um ao lado do outro, que oferecem camarão rosa no bafo como em nenhuma outra parte do país.

Todos os restaurantes são ótimos e tem como carro chefe o prato, que vem acompanhado de limão e cerveja bem gelada para aplacar o calor que faz por lá , em torno dos 42 graus no auge do verão! Ainda dá para fazer um passeio de lancha , levando uma bela porção do camarão para ir degustando enquanto , se levar sorte , aprecia as brincadeiras do Boto- Cor -de- Rosa , bastante presente na região e que leva a fama de ser o responsável por muita moça que aparece grávida sem ter marido.A lenda do boto tem sua origem na região amazônica. De acordo com a lenda, um boto cor-de-rosa sai dos rios amazônicos nas noites de festa junina. Com um poder especial, consegue se transformar num lindo, alto e forte jovem vestido com roupa social branca. Ele usa um chapéu branco para encobrir o rosto e disfarçar o nariz grande. Vai a festas e bailes noturnos em busca de jovens mulheres bonitas. Com seu jeito galanteador e falante, o boto aproxima-se das jovens desacompanhadas, seduzindo-as. Logo após, consegue convencer as mulheres para um passeio no fundo do rio, local onde costuma engravidá-las. Na manhã seguinte volta a se transformar no boto. O boto cor-de-rosa é considerado amigo dos pescadores da região amazônica. De acordo com a lenda, ele ajuda os pescadores durante a pesca, além de conduzir em segurança as canoas durante tempestades. O boto também ajuda a salvar pessoas que estão se afogando, tirando-as do rio. Parece muito com o Golfinho e tem uma pele de coloração rosa , dando-lhe o nome típico.


Balneário de Fazendinha


Fazendinha ao entardecer


Restaurantes em Fazendinha


Camarão no Bafo


Boto Cor de Rosa


Mas nem só de lendas vive a região! Além do povo fantástico e acolhedor , Macapá tem ainda a culinária a ser apreciada! As comidas típicas de lá são de dar agua na boca; Uma grande variedade de peixes de agua doce (como Tambaqui, Filhote , Pirapitinga, Pirarucu(O Bacalhau do norte) salgado ou fresco e tantas outras delícias que são preparadas nos bons restaurantes locais. Tem ainda a Maniçoba , prato feito a partir da maniva , folha de uma espécie de mandioca venenosa mas que se cozida durante dias pode ser preparada com os ingredientes da nossa feijoada , fazendo deste um dos pratos favoritos da região! Tem ainda o famoso Tacacá , feito da goma da mandioca com tucupi , camarão e folha de Jambú, O famoso Pato no Tucupí, Vatapá , Caruru, Tucunaré assado de brasa (Imperdível). A Tapioca é usada largamente em diversos pratos. A Pupunha é uma espécie de coquinho , que cozido , come-se com café no lugar do pão. As frutas são um show a parte , com sabores exóticos como o Cupuaçú , Taperebá , Ingá, Uxi , Graviola Biribá, jambo, abacaxi, ingá chinela, abiu e o famoso Açaí.


Frutas da Região


Castanha


Limão Selvagem


Pupunha


Pato no Tucupi


Tacacá


Maniçoba


Vatapá



POVOS INDÍGENAS

Amapá é o primeiro estado brasileiro a ter todas as terras indígenas demarcadas. Nas duas grandes reservas, que representam 8,6% de todo o território estadual, 140.276 km² , vivem as etnias - Galibi, Karipuna, Palikur, Waiapi e Galibi Marworno.

Esses índios recebem todo tipo de apoio governamental: da assistência saúde à orientação para melhorar a qualidade de vida através de novas alternativas econômicas.O melhor exemplo desse compromisso é o apoio dado a escola bilíngue, na qual as crianças aprendem primeiro sua língua original, condição mais importante para manter viva a tradição indígena com seus mitos, lendas, arte e costumes.

Cada uma das aldeias tem um perfil que se retrata na arte.

O artesanato é uma atividade que também proporciona alguma renda aos povos indígenas do Amapá. Os Karipuna, fabricam colares de sementes e ossos. Os Waiapi usam desenhos para explicar sobre seu povo. Se organizado com antecedência , é possivel visitar algumas tribos.


Indios Waiapi


Indios Karipuna


Índios Palikur



Parque Nacional Montanhas do tumucumaque

O Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque , localizado entre o Amapá e o Pará, é uma das unidades de conservação da Amazônia. De acordo com o WWF, esse bioma é o que possui a maior extensão de territórios protegidos: são 314 unidades de conservação que representam mais de 1 milhão de hectares.


Parque Nacional Montanhas de Tumucumaque


Parque Nacional Tumucumaque


É neste mesmo estado que ocorre a POROROCA e pessoas do mundo inteiro vem ali para observar o fenômeno e também para surfar a onda mais longa do planeta.


Pororoca


ONDE FICAR E ONDE COMER

Para se hospedar há varias opções; Na "Frente da Cidade" com vista para o Rio Amazonas , tem o Hotel do Forte , O Amazon Plaza e o Macapá Hotel. Já indo para o caminho de Fazendinha, tem o Ceta Ecotel , com uma estrutura ótima e chalés no meio da Floresta. Tem também o Ibis , o Atalaia no centro da cidade e o Equatorial , todos com com boas acomodações.


Ceta Ecotel


Ceta Ecotel - Piscina


Hotel Amazon Plaza


Hotel Íbis - Macapá


Já os restaurantes de comidas típicas , recomendamos o Estaleiro que serve peixes da região , O Lamaru também com ótimos peixes. Tem também O "Confraria"que serve tanto os pratos típicos como os tradicionais brasileiros. O Acqua Ristorante, A Bizzum Pizzaria e massas Italianas, O "Quitanda" que fica numa esquina histórica (Era o antigo cinema da cidade) e super charmosa e com pratos Típicos preparados pelo Chef Dom Garcia e tantos outros ao redor da cidade. Come-se muito bem em Macapá!


Restaurante Estaleiro


Aqua Restaurante


Quitanda Café


Quitanda Bistrô


E não fica só por aí, a cidade de Macapá conta ainda com dois Shooping Centers, o Macapá Shopping na Av Leopoldo Machado e o Amapá Gardens na Rodovia Juscelino Kubitscheck, Km 2.


Amapá Garden


Macapá Shopping

Então? Ficou surpreso com este Destino Brasileiro? Vai lá conferir!



Envie por email para um amigo

Leia mais sobre Destinos

COMENTÁRIOS

Não há comentário postado até o momento

COMENTE

Seu nome:
Seu email:
Deixar seu email visível: 
Cidade/Estado:

Escreva seu comentário


Digite o código abaixo:
34875



Canadá Inesquecível

HOME
QUEM SOMOS
FALE CONOSCO
TV ZILDA BRANDÃO
COLUNA ZILDA
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ANTONIO SALANI

Mira & Destino é um site de informações turísticas, gastronômicas, negócios e novidades no mercado voltado para o público de alto luxo. Nossa intenção é trazer sempre o que de melhor acontece no mundo
BUSCA DE NOTÍCIA
RECEBA NOTÍCIAS

Desenvolvimento: Anderson Luiz