×
HOME BELEZA BUSINESS E NEGÓCIOS CULTURA DESTINOS EVENTOS GASTRONOMIA HOTELARIA MODA PETS SOCIAL TURISMO ZILDA BRANDÃO DICAS DE VIAGEM QUEM SOMOS TV ZILDA BRANDÃO ÚLTIMAS NOTÍCIAS FALE CONOSCO
     

Whats Instagram Instagram Facebook
×
ENCONTRE SUA NOTÍCIA

BUSINESS E NEGÓCIOS

O objetivo inicial do grupo é arrecadar R$10.000 (dez mil reais) para produzir 7.500 máscaras de acetato

Zilda Brandão
29/05/2020 às 09:20hs



O grupo conta com know-how de produção e recursos tecnológicas da UGo Kiteboarding, fabricante de equipamentos e acessórios para kitesurf.

O Promask é um grupo sem fins lucrativos, composto de estudantes e familiares que se uniram em prol de um objetivo comum; que é ajudar aqueles que cuidam de nós: os profissionais da saúde em luta contra o coronavírus. O grupo conta com cerca de 18 voluntários engajados. A maioria é formada por alunos do ensino médio e superior. Laura Candusso, de 16 anos, foi quem teve a iniciativa de mobilizar o coletivo para iniciar a produção das máscaras face shield.

No início do mês de março, a jovem mobilizou os amigos, familiares e também recorreu ao apoio de empresas interessadas em apoiar a causa. Até o momento, com 32 doações, que somam o total de R$ 3.755,00 Em parceria com o maior site de financiamento coletivo do Brasil, Vakinha.com.br., o grupo de voluntários assegura transparência aos doadores individuais e corporativos.

"Estamos muito felizes por saber como há tanta gente que colabora para o bem do próximo. Acabamos de criar o grupo e com a divulgação informal já conseguimos iniciar a produção de mil máscaras. O material está a caminho e em breve mãos à obra", comemora a jovem Laura. O objetivo inicial do grupo é arrecadar R$10.000 (dez mil reais) para produzir 7.500 máscaras de acetato.


O objetivo inicial do grupo é arrecadar R$10.000 (dez mil reais) para produzir 7.500 máscaras de acetato.

Tal a filha, tal o pai!

O grupo conta com know-how de produção e recursos tecnológicas da UGo Kiteboarding, fabricante de equipamentos e acessórios para kitesurf, que aceitou o desafio de treinar os jovens à distância para a produção das máscaras home office. Com isso, a empresa que já participou de outras iniciativas na produção das máscaras, assegura que a matéria prima e o processo de produção estejam de acordo com os gabaritos e as normas técnicas.

"Fico muito orgulhoso que essa iniciativa tenha partido da minha filha. Em casa, temos o propósito de ajudar os outros e zelar sempre pela segurança. Vê-la praticando o bem, nos emociona. Fico ainda mais feliz em poder compartilhar o conhecimento e a disponibilidade tecnológica da empresa para, mais uma vez, contribuir com quem está na linha de frente em nome de uma causa solidária", fala com orgulho Renato Candusso, pai de Laura e empresário.


Laura Candusso

Laura Candusso, conta também que para otimizar o trabalho, foi necessário dividir o grupo em três partes: análise e pesquisa de preço, para a compra dos materiais; procura por locais de destino para a doação das máscaras; e, ainda, apoio à divulgação e controle das doações. A escolha dos locais que receberão as máscaras doadas está em processo de definição, enquanto a produção artesanal segue em ritmo acelerado “Quem precisa de máscaras pode entrar em contato pelo contato@grupopromask.com.br

Doações certificadas

Cada doador, pessoa física, recebe um certificado de doação. Para as doações de pessoas jurídicas são entregues também selo digital. “Isso ajuda a aumentar a corrente de doadores”, acredita Laura.

Para contribuir, basta acessar o aplicativo Vakinha (vaka.me/1044181) e/ou realizar uma transferência bancária. Os valores arrecadados são destinados exclusivamente à compra do material necessário para a confecção das máscaras.

“Ajudar a preservar a vida dos profissionais da saúde que combatem a Covid-19 é um ato de cidadania”, defendem os jovens voluntários.

Fotos: Divulgação




Tópicos: - -

ENVIE PARA UM AMIGO

Leia mais sobre Turismo

LEIA TAMBÉM:
COMENTÁRIOS


Adicione seu comentário

Nome:
Email:
Cidade e Estado:
Comentário